Títulos Pós fixados

Os títulos pós fixados, Tesouro Selic e Tesouro IPCA+, contam com a remuneração exata definida apenas no momento de seu vencimento ou resgate. Enquanto o Tesouro Selic é mais indicado para investidores iniciantes, o Tesouro IPCA+ é para as pessoas que querem se proteger dos efeitos da inflação.

O que você precisa saber


Como funciona sua remuneração?

O Tesouro Selic, como o próprio nome indica, remunera o investidor de acordo com a taxa básica de juros, a Selic, que é definida pelo Copom (Comitê de Política Monetária) em reuniões a cada 45 dias. O cálculo de sua remuneração é feita diariamente para o investidor, de acordo com o percentual da taxa pago pelo governo. Já o Tesouro IPCA+ remunera o investidor com uma taxa predefinida no momento da compra + variação da inflação (medida pelo IPCA - Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo).
Vantagens e riscos

O Tesouro Selic e o Tesouro IPCA+ são títulos do Tesouro Direto, programa de compra e venda de títulos públicos do governo federal em parceria com a B3. O governo é considerado por especialistas, o credor mais seguro que existe no país e, assim, esse se torna um investimento bastante conservador em termos de risco de crédito. O Tesouro IPCA+, por sua vez, conta com a mesma segurança do Tesouro Selic, mas não é indicado para investidores conservadores que precisam de liquidez, uma vez que seu preço oscilará ao longo do investimento, o que não acontece com o Tesouro Selic. O investidor que manter o título até seu vencimento, contudo, não sofrerá com o efeito da marcação a mercado.
Para quem se destina esse investimento?

O Tesouro Selic é um investimento indicado para investidores conservadores ou iniciantes, uma vez que conta com alta segurança, liquidez em D+1 e não com a marcação a mercado: ou seja, seus preços não oscilam ao longo do tempo da aplicação, diferentemente do que acontece com outros títulos do Tesouro Direto. O Tesouro IPCA+, por sua vez, é mais indicado para investidores de médio e longo prazo que queiram se proteger contra o efeito da inflação para planos como a compra de um imóvel ou até mesmo a aposentadoria, por exemplo.


Aprenda sobre Tesouro Direto




Os títulos do Tesouro Direto se tornaram um dos investimentos mais populares nos útlimos anos. No vídeo de hoje, André Bona Bona do Blog de Valor fala tudo o que você precisa saber para fazer o melhor investimento nessa modalidade. Confira.

O que é?
O Tesouro Direto é um programa do Tesouro Nacional, feito em parceria com a bolsa de valores, a B3 S.A. – Brasil, Bolsa, Balcão, para a venda de títulos públicos federais para pessoas físicas por meio da internet. É uma modalidade de investimento famosa no Brasil pela segurança e retornos atrativos, com diferentes títulos e prazos com ganhos superiores aos da poupança nas regras atuais.

Quais os riscos para investir
O Tesouro Direto, por ser um programa de compra e venda de títulos públicos, oferece títulos que contam com a garantia do Governo Federal, o qual é considerado por especialistas no mercado como o credor mais seguro que existe no país.

Quais os tipos de fundos?
Existem três formas principais de remuneração para o investidor em relação aos títulos do Tesouro Direto:
Pós-fixada: é o caso do Tesouro Selic, título que tem a sua rentabilidade atrelada à taxa básica de juros, a Selic e a rentabilidade exata só é sabida ao longo do investimento. Esse título ainda é o mais recomendado para investidores que precisam de liquidez diária e para quem está começando a investir.
Prefixada: é o caso do Tesouro Prefixado, título que paga uma remuneração definida no momento de compra do investimento. Essa aplicação permite que o investidor saiba exatamente o valor que receberá no vencimento do título.
Atrelada ao IPCA: é o caso do Tesouro IPCA+, título que mescla uma rentabilidade prefixada definido no momento de investimento com a inflação do período de aplicação. Esse título é indicado para quem quer se proteger dos efeitos da inflação ao longo do tempo.
É possível vender antes do vencimento?
Sim. Contudo, os títulos Tesouro Prefixado e Tesouro IPCA+ estão sujeitos à chamada marcação a mercado, movimento que provoca oscilações de preços e pode acarretar em perdas financeiras. Assim, para quem deseja investir e poder resgatar antes do vencimento do título, o Tesouro Selic é mais indicado.


Custos

Taxas

O BTG Pactual digital não cobra taxa de custódia sobre o investimento em Tesouro Direto, mas, mesmo assim, existe a cobrança anual da CBLC (Companhia Brasileira de Liquidação e Custódia) obrigatória para os investidores do Tesouro Direto em todas as instituições financeiras de 0,25% ao ano. Aqui, nós contamos com o fundo Tesouro Selic Simples (BTG Pactual digital Tesouro Selic S FI RF), fundo que tem como objetivo acompanhar o CDI, indicador que anda muito próximo da Selic, e conta com taxa zero de administração.

Tributação

Com exceção dos papéis isentos de cobrança, estes são os impostos cobrados sobre a rentabilidade do investimento em papéis de Renda Fixa.

Alíquota IR 22,5% 20% 17,5% 15%
Prazo de Investimento 0 dias 180 dias 360 dias 720 dias
Alíquota IOF (somente quando o resgate for inferior a 30 dias. A partir de 30 você não paga IOF).

Dias 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30
% Rendimento 96 93 90 86 83 80 76 73 70 66 63 60 56 53 50 46 43 40 36 33 30 26 23 20 16 13 10 06 03 0

Títulos prefixados

O Tesouro Prefixado é o único título do Tesouro Direto que é inteiramente prefixado. Como seu nome indica, esse é um investimento em que o investidor sabe sua remuneração no momento que faz o investimento.

O que você precisa saber


Como funciona sua remuneração?

A remunereção do Tesouro Prefixado é definida no momento em que o investidor aplica seu dinheiro no título em questão, sendo que ela é composta de uma taxa anual. Este título, contudo, sofre a marcação a mercado e quem quiser vendê-lo antes de seu vencimento pode sofrer com as oscilaçÕes em seu preço.
Vantagens e riscos

O Tesouro Prefixado é um título do Tesouro Direto, programa de compra e venda de títulos públicos do governo federal em parceria com a B3. O governo é considerado por especialistas, o credor mais seguro que existe no país e, assim, esse se torna um investimento bastante conservador em termos de crédito. Porém, ele conta com a marcação a mercado e seus preços sofrem oscilação, o que pode afetar o investidor que se desfaça do papel antes de seu vencimento.
Para quem se destina esse investimento?

O Tesouro Prefixado é um título indicado para investidores que querem saber exatamente quanto receberão ao final do investimento, mas não é indicado para pessoas que precisam se desfazer do papel antes de seu vencimento, uma vez que a marcação a mercado pode trazer oscilações bruscas no preço.


Aprenda sobre Tesouro Direto




Os títulos do Tesouro Direto se tornaram um dos investimentos mais populares nos útlimos anos. No vídeo de hoje, André Bona Bona do Blog de Valor fala tudo o que você precisa saber para fazer o melhor investimento nessa modalidade. Confira.

O que é?
O Tesouro Direto é um programa do Tesouro Nacional, feito em parceria com a bolsa de valores, a B3 S.A. – Brasil, Bolsa, Balcão, para a venda de títulos públicos federais para pessoas físicas por meio da internet. É uma modalidade de investimento famosa no Brasil pela segurança e retornos atrativos, com diferentes títulos e prazos com ganhos superiores aos da poupança nas regras atuais.

Quais os riscos para investir
O Tesouro Direto, por ser um programa de compra e venda de títulos públicos, oferece títulos que contam com a garantia do Governo Federal, o qual é considerado por especialistas no mercado como o credor mais seguro que existe no país.

Quais os tipos de fundos?
Existem três formas principais de remuneração para o investidor em relação aos títulos do Tesouro Direto:
Pós-fixada: é o caso do Tesouro Selic, título que tem a sua rentabilidade atrelada à taxa básica de juros, a Selic e a rentabilidade exata só é sabida ao longo do investimento. Esse título ainda é o mais recomendado para investidores que precisam de liquidez diária e para quem está começando a investir.
Prefixada: é o caso do Tesouro Prefixado, título que paga uma remuneração definida no momento de compra do investimento. Essa aplicação permite que o investidor saiba exatamente o valor que receberá no vencimento do título.
Atrelada ao IPCA: é o caso do Tesouro IPCA+, título que mescla uma rentabilidade prefixada definido no momento de investimento com a inflação do período de aplicação. Esse título é indicado para quem quer se proteger dos efeitos da inflação ao longo do tempo.
É possível vender antes do vencimento?
Sim. Contudo, os títulos Tesouro Prefixado e Tesouro IPCA+ estão sujeitos à chamada marcação a mercado, movimento que provoca oscilações de preços e pode acarretar em perdas financeiras. Assim, para quem deseja investir e poder resgatar antes do vencimento do título, o Tesouro Selic é mais indicado.


Custos

Taxas

O BTG Pactual digital não cobra taxa de custódia sobre o investimento em Tesouro Direto, mas, mesmo assim, existe a cobrança anual da CBLC (Companhia Brasileira de Liquidação e Custódia) obrigatória para os investidores do Tesouro Direto em todas as instituições financeiras de 0,25% ao ano. Aqui, nós contamos com o fundo Tesouro Selic Simples (BTG Pactual digital Tesouro Selic S FI RF), fundo que tem como objetivo acompanhar o CDI, indicador que anda muito próximo da Selic, e conta com taxa zero de administração.

Tributação

Com exceção dos papéis isentos de cobrança, estes são os impostos cobrados sobre a rentabilidade do investimento em papéis de Renda Fixa.

Alíquota IR 22,5% 20% 17,5% 15%
Prazo de Investimento 0 dias 180 dias 360 dias 720 dias
Alíquota IOF (somente quando o resgate for inferior a 30 dias. A partir de 30 você não paga IOF).

Dias 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30
% Rendimento 96 93 90 86 83 80 76 73 70 66 63 60 56 53 50 46 43 40 36 33 30 26 23 20 16 13 10 06 03 0
Abra sua conta
logo